Espetáculos/Release imprensa/Outros Olhares





UMA TRILOGIA LIVREMENTE INSPIRADA NO ROMANCE ÉPICO "VIVA O POVO BRASILEIRO" DE JOÃO UBALDO RIBEIRO.

1º espetáculo
CANTEIRO


Sinopse



O espetáculo “Canteiro” coloca em cena as diversas fomes do chamado “homem comum”. No horário de almoço, em um canteiro de obras, trabalhadores de um canteiro de obras estabelecem um divertido jogo teatral para falar sobre a possibilidade de se escolher o que se come, sobre a fabricação de alguns dos heróis da história oficial, sobre os anônimos heróis do povo, sobre o conhecimento que não se encontra nos livros, sobre a violência e sobre a sede por justiça. Através das histórias servidas ao público, histórias feitas a partir de “Viva o Povo Brasileiro”, a Cia dos Inventivos homenageia os milhões de heróis brasileiros que constroem, diariamente, este País.

Entre escadas, cones, tambores e marmitas, Aysha Nascimento, Flávio Rodrigues, Marcos di Ferreira, Taynã Azevedo e Adilson Fernandes dão vida aos operários dessa peça.

Dirigida por Edgar Castro “Canteiro” é o resultado de uma investigação cênica realizada durante sete meses a partir da obra de João Ubaldo, e integra o projeto “VIVA O POVO BRASILEIRO!”, que tem como proposta apresentar três espetáculos e realizar quatro encontros trimestrais, para discutir os caminhos estéticos do Teatro de rua (Escambos Estéticos). A dramaturgia de “Canteiro” foi construída durante o processo, quando a Cia dos Inventivos mapeou algumas das dinâmicas eivadas de contradição presentes nas paredes excludentes da senzala, apropriando-se de quatro episódios da obra de João Ubaldo: o caboco Capiroba, o barão Perilo Ambrósio, nêgo Leléu e Feliciano. A voz que ouvimos em “Canteiro”, a primeira montagem das três que serão realizadas, é tão somente a voz dos “comedores de resto”.

Ficha técnica:


Artistas-criadores: Aysha Nascimento, Flávio Rodrigues, Maria Texeira, Marcos di Ferreira e Rômulo Nardes / Segunda montagem com Taynã Azevedo e Adilson Fernandes "Camarão".
Direção geral: Edgar Castro
Assistente de direção: Daniela Rosa
Dramaturgia: Cia. dos Inventivos
Dramaturgista: Daniela Rosa
Direção musical: Cristiano  Gouveia e Rômulo Albuquerque
Preparação corporal: Kelliy Anjos e Verônica Nóbili
Dança afro / Coreografias:  Kelliy Anjos
Jongo : Tom Conceição
Direção de arte: Marcio Rodrigues e Rafaela Carneiro
Confecção de instrumentos: Rômulo Albuquerque
Apoio: Marcondes Nascimento
Fotos: Kazuo Watanabe

Realização: Cia dos Inventivos com o apoio do Programa de Ação Cultural da Secretária do Estado de São Paulo/2008


2º espetáculo
Bandido é Quem Anda Em Bando





Sinopse


Em uma das muitas praças da cidade a normalidade é interrompida. Passantes se envolvem em uma discussão que faz emergir a necessidade de um vínculo maior entre eles. Sendo atravessados por um Palanque montado, fazem frente à barbárie que a todos quer engolir.
O projeto teatral "Viva o Povo Brasileiro!" objetiva a montagem de uma trilogia livremente inspirada no romance épico "Viva o Povo Brasileiro", de João Ubaldo Ribeiro. No primeiro espetáculo da trilogia, denominado “Canteiro”, trabalhadores de um canteiro de obras se perguntam: quem escolhe o que come?
Neste segundo trabalho, Bandido é Quem Anda Em Bando, a Companhia dos Inventivos problematiza alguns dos impasses vividos por quem vive à margem do sistema, no confronto com o brutalizante cotidiano da metrópole. O terceiro espetáculo está previsto para abril 2014.

Ficha técnica:


Artistas-criadores: Aysha Nascimento, Flávio Rodrigues, Luciana Yumi Yara, Marcos di Ferreira e Rômulo Albuquerque com participação de Fernando Melo
Direção:Edgar Castro
Assistente de direção:Raniere Guerra
Orientador: Alexandre Mate
Dramaturgia; Rogério Guarapiran
Direção de arte: Julio Docjar
Direção musical: Raniere Guerra e Rômulo Albuquerque 
Efeitos sonoros:Rômulo Albuquerque e Ricardo Dutra
Preparação dos atores Eduardo Okamoto
Preparação corporal: Márcio Greyk e Pedro Peu
Treinamento Bufão: Daniela Carmona e Adriano Basegio
Treinamento mamulengo: Danilo Cavalcanti
Estudos dramatúrgicos: Calixto de Inhamus
Costureira: Leci de Andrade

Realização: Cia dos Inventivos com o apoio 16º Edição do Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo.


3º espetáculo

    AZAR DO VALDEMAR
Espetáculo de rua livremente inspirado no romance “Viva o Povo Brasileiro” de João Ubaldo Ribeiro


Sinopse

Uma trupe de artistas mambembes conta a história do desaparecimento de Valdemar e, com o público, tenta recriar a sua trajetória. “Azar do Valdemar” encerra a Trilogia dOs Inventivos, livremente inspirada no romance "Viva o Povo Brasileiro" de João Ubaldo Ribeiro.

Em “Azar do Valdemar” a Cia. dos Inventivos, desenvolve, por meio do teatro, informação sobre os sequestrados pelo estado policial que vigora em nosso país, denunciando simbolicamente as inúmeras injustiças do corpo social fragmentado pela violência. Inspirando-se em características do Teatro de Variedades, o espetáculo tenta construir novas abordagens que, por meio do estético, revisitem os modos como os relacionamentos humanos têm se constituído. Ao apontar as hostilidades contra o humano, os Inventivos criam mais um espetáculo-rapsódia da gente brasileira iniciado no “Canteiro”, revelado em “Bandido É Quem Anda em Bando” e manifestado em “Azar do Valdemar”.

Ficha técnica:

Concepção: Cia dos Inventivos
Atores-criadores: Aysha Nascimento, Flávio Rodrigues e Marcos di Ferreira
Músico-criador: Adilson Fernandes
Direção: Edgar Castro
Assistente de direção: Daniela Rosa
Dramaturgista: Jé Oliveira
Orientação da pesquisa: Alexandre Mate
Direção Musical e Música Original: Rodrigo Mercadante
Preparação Corporal e Direção de Movimento: Verônica Santos
Preparação vocal: Raniere Guerra
Preparação dos atores: Antônio Salvador
Treinamento Palhaço: Esio Magalhães
Cenário e Luz: Wagner Antônio
Assistente de Cenário e Luz: Van Caires
Brincante Figurinista e Aderecista: Cleydson Catarina
Assistente de Figurinos e Adereços: Marcos Emanoel
Maquiagem: Guto Togniazzolo
Desenho de som: Miguel Caldas
Fotos: Bob Sousa, Christiane Forcinito e André Murrer
Costureira: Euda Alves de Araújo
Artista gráfico: Murilo Thaveira
Produção: Ana Flávia Rodrigues
Realização: Cia dos Inventivos e Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo – XXII edição.

Os versos citados na cena Ilusionista pertencem à música “Dodói”, de Itamar Assumpção.
O texto em off é trecho de uma entrevista do escritor Juan Gelman, na voz de Edgar Castro.
O poema “Se eu morresse amanhã”, presente na cena Crooner, é de Álvares de Azevedo.


Duração 70 minutos.

Em caso de chuva não haverá o espetáculo.


4º espetáculo,
EU VOU TIRAR VOCÊ DESTE LUGAR, livremente inspirado em "Nossos Ossos" de Marcelino Freire.





Neste trabalho, dando prosseguimento à atual pesquisa sobre o Teatro de Revista, a Cia dos Inventivos visita a obra do escritor pernambucano e apresenta o universo homoafetivo de Nossos Ossos, narrando a história de Heleno, um dramaturgo que vive uma experiência afetiva com o garoto de programa Cícero, em livre inspiração para a linguagem de rua.

Concepção e Direção – Marcos di Ferreira
Orientação – Edgar Castro
Artistas-Criadores – Adilson Fernandes, Aysha Nascimento, Flávio Rodrigues e Taynã Azevedo.
Dramaturgia – Tadeu Renato
Direção de Movimento – Verônica Santos
Direção Musical – Rodrigo Mercadante
Figurinos e Adereços - Cleydson Catarina
Maquiagem: Taynã Azevedo
Cenografia – Van Caires
Técnico de Som – Daniel Boca
Designer Gráfico – Murilo Thaveira
Produtora – Ana Flávia Rodrigues
Produção Executiva – Cia dos Inventivos
Realização – Cia dos Inventivos e Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a cidade de São Paulo.
Duração – 50 minutos
Este espetáculo faz parte do novo projeto “Cia dos Inventivos em Revista! 10 anos de (R)existência nas Ruas – tem subsidio do Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a cidade de São Paulo – 26º edição

5º espetáculo 

Um canto para Carolina, infanto-juvenil, livremente inspirado no livro-diário "Quarto de despejo" de Carolina Maria de Jesus.




Sinopse
                      “O maior espetáculo do pobre da atualidade é comer.
Carolina Maria de Jesus

Os irmãos João, José e Vera recebem de presente o primeiro exemplar da publicação do livro-diário “Quarto de despejo”, escrito por sua mãe, Carolina Maria de Jesus. Mergulhando no cotidiano registrado por ela, os filhos revivem suas histórias de luta por uma vida melhor.

FICHA TÉCNICA

Artistas criadores_ ADILSON FERNADES, AYSHA NASCIMENTO, MARCOS DI FERREIRA E TAINÃ AZEVEDO
Concepção e direção geral_ FLÁVIO RODRIGUES
Orientação_ EDGAR CASTRO
Dramaturgia em processo colaborativo com a Cia. dos inventivos:_ TADEU RENATO Direção de movimento_ VERÔNICA SANTOS
Direção musical_ MELVIN SANTHANA
Cenografia_ JEFFERSON MATIAS
Figurino e adereços_ CLEYDSON CATARINA
Fotografia_ ANDRÉ MURRER
Técnico de som_ DANIEL BOCA
Musicas originais_ ADILSON FERNANDES, MELVIN SANTHANA, TADEU RENATO E TAYNÃ AZEVEDO
Edição da rádio_ FABRICIO ZAVANELA
Voz locutor_ BRUNO DIAS
Designer gráfico_ MURILO THAVEIRA>casadalapa
Produtora_ ANA FLAVIA RODRIGUES

Produção executiva_ AYSHA NASCIMENTO,FLÁVIO RODRIGUES E MARCOS DI FERREIRA 

Nenhum comentário:

Postar um comentário