quarta-feira, 28 de março de 2012

ATO 27 - Carta Denúncia com Lady Rouanet acompanhada de seus secretários vampiros representados pela Cia.


FOTO:André Mürrer (BRASIL DE FATO)

CARTA DENÚNCIA

Dia Internacional do Teatro

Denúncias

NESTE 27 DE MARÇO DE 2012 – DIA INTERNACIONAL DO TEATRO E DIA NACIONAL DO CIRCO – NÓS, COLETIVOS ARTÍSTICOS COMPONENTES DO MOVIMENTO DE TEATRO DE GRUPOS DE SÃO PAULO, MAIS UMA VEZ, EXIGIMOS POLÍTICAS PÚBLICAS QUE ESTEJAM À ALTURA DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO PAIS, SEJAM EFICAZES E TENHAM CONTINUIDADE. ENTENDEMOS QUE O CUMPRIMENTO DESSAS PROPOSIÇÕES ATENDE NÃO APENAS AOS PROFISSIONAIS DE TEATRO, MAS CONTRIBUI PARA A GARANTIA DO ACESSO E A FRUIÇÃO DOS BENS CULTURAIS A TODA POPULAÇÃO.
Reafirmamos nossa luta histórica contra as leis de renúncia fiscal que ao longo de suas existências revelaram-se como um mecanismo perverso, utilizado para carrilhar os poucos recursos públicos para os interesses privados das corporações. Reafirmamos a defesa dos espaços públicos para o interesse público, assim, nos manifestamos contra qualquer proibição ou burocratização para utilização desses espaços por parte do teatro de rua ou demais artistas, bem como defendemos que os espaços públicos ociosos sejam ocupados para o desenvolvimento de atividades artísticas e culturais.
No âmbito Federal: Repudiamos o não comprometimento do Executivo Federal e do Congresso Nacional com o Projeto de Lei de Fomento ao Teatro Nacional – Prêmio Teatro Brasileiro. A demora na sua aprovação é um impedimento à democratização dos recursos para as artes cênicas no país. Denunciamos a falta de planejamento do Ministério da Cultura que tem abandonado os profissionais de teatro na condição da mais completa incerteza, sem saberem como e quando os editais federais serão lançados, julgados, contratados e, principalmente, pagos. Denunciamos a descontinuidade e a precarização das ações culturais já existentes tais como os Pontos de Cultura.
No âmbito Estadual: Denunciamos a falta de iniciativa do Executivo Estadual em defender a equiparação entre os recursos destinados à renúncia fiscal e os editais (ProAC ICMS e ProAC editais), defendida pela Comissão de Educação e Cultura da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo; defendemos a retomada das discussões sobre a implantação do Fundo Estadual de Arte e Cultura. Repudiamos a privatização da cultura pela renúncia das atribuições da Secretaria Estadual da Cultura em favor das chamadas "Organizações Sociais" e a política cultural com foco na construção de edificações em detrimento das ações culturais que efetivamente envolvam os artistas e a população.
No âmbito Municipal: Repudiamos a crescente interferência do Executivo Municipal nas leis de fomento ao teatro e à dança, levando a uma burocratização mortal ao processo criativo. Denunciamos ausência de novas leis e programas que dêem conta da crescente demanda da cidade e a precarização de algumas ações culturais tais como o Programa para a Valorização de Iniciativas Culturais (VAI), o Projeto Piá e a programação cultural dos CEUs.

Movimento de Teatro de Grupos de São Paulo

In memorian
Ademar Guerra
Adilson Barros
Alberto GuziK
Alberto D'Aversa
Alfredo Mesquita
Altair Lima
Anatol Rosenfeld
Antonio de Andrade
Ariclê Perez
Armando Bogus
Augusto Boal
Arrelia
Benedito Corsi
Benajmin de Oliveira
Cacilda Becker
Campelo Neto
Cláudio Correa e Castro
Cláudio Mamberti
Carlos Zara
Carlos Miranda
Carlos A. Sofredinni
Carlos Augusto Strasser
Carlos Queiroz Telles
Carequinha
Chico Martins
Ciro Del Nero
Chiquinho Brandão
Chicharrão
Célia Helena
Consuelo Leandro
Dina Sfat
Dias Gomes
Dionísio Azevedo
Décio de Almeida Prado
Dulcina de Moraes
Eduardo Conde
Edith Siqueira
Elísio Albuquerque
Eugênio Kusnet
Fernando Peixoto
Fernando Torres
Felipe Carone
Flávio Rangel
Flávio Império
Francisco Milani
Francarlos Reis
Fredi Kleemmann
Gianfrancesco Guarnieiri
Gianni Ratto
Gerson Abreu
Grande Otelo
Heleny Guariba
Hugo Della Santa
Iara Amaral
Ivan Albuquerque
Irina Greco
Isabel Ribeiro
Ítalo Rossi
João Albano
João Cândido Galvão
John Hebert
José Ferro
José Renato Pécora
Jorge Andrade
João Apolinário
Laerte Morrone
Lélia Abramo
Leina Crespi
Leonor Bruno
Lenine Tavares
Lílian Lemmertz
Lineu Dias
Lino Rojas
Luis A. Martinez Corrêa
Luís Sérgio Person
Luiz Armando Queiroz
Maria Duschenes
Mário Lago
Marlene França
Madame Morrineau
Mazzaropi
Miroel Silveira
Myrian Muniz
Mylene Pacheco
Olair Cohan
Oswaldo Barreto
Osmar Rodrigues Cruz
Oduvaldo Viana (pai)
Paulo Autran
Paulo Lara
Paulo Mendonça
Paulo Pontes
Paulo Villaça
Paulo Wolf
Paulo Yutaka
Patrícia Galvão
Petrônio Nascimento
Plínio Marcos
Piolin
Procópio Ferreira
Rafael Carvalho
Raul Cortez
Renato Consorte
René Gumiel
Reinaldo Maia
Ricardo Bandeira
Roberto Crosco
Roberto Freire
Rogério Cardoso
Rodolfo Mayer
Rodrigo Santiago
Rui Afonso
Rubens Corrêa
Rubens Brito
Ruthinéia de Moraes
Sadi Cabral
Sandra Bréa
Sandro Polônio
Sérgio Brito
Sérgio Cardoso
Sérgio Viotti
Sérgio Ropperto
Serafin Gonzáles
Tácito Rocha
Timochenko Webbi
Toresmo
Toninho Dantas
Vianinha
Walter Avancini
Walter D'Ávila
Waterloo Gregório
Yan Michalsky
Zanone Ferrite
Zé Vicente
Ziembinski

A esses artistas e tantos outros que por qualquer lapso de memória não se encontrem relacionado(a)s, dedicamos este 27 de março de 2012.

quinta-feira, 22 de março de 2012

É CHEGADA A HORA DE COBRAR NOVAMENTE UMA POLÍTICA ESTRUTURANTE PARA O BRASIL!

GRANDE ATO / DENÚNCIA DOS TRABALHADORES E
TRABALHADORAS DE TEATRO EM LUTA

DIA 27 DE MARÇO DIA INTERNACIONAL DO TEATRO E NACIONAL DO CIRCO


Apropriaremos-nos do formato da Escola de Samba pra sair às ruas de São Paulo num ato que mescla “Festa e Denúncia”.
O Ato terá inicio às 12h no Teatro Municipal de São Paulo e na seqüência ganhará às ruas em Cortejo para dialogar com a população que receberá a Carta Denúncia.
Na Comissão de frente teremos a figura da MADRINHA LADY ROUANET acompanhada de seus serviçais e cortejada pelas Secretarias e Ministério da Cultura.
AOS GRUPOS DE TEATRO SOLICITAMOS:
- Chegar ao Teatro Municipal pontualmente ao meio dia para organizarmos as ALAS.
- Se possível escolher alguns músicos do grupo pra fazer parte da ALA dos Músicos (Bateria), pois os mesmos irão compor e ensaiar o repertório do Cortejo em frente ao Teatro Municipal em espaço aberto. Cada coletivo se comprometerá de trazer os seus instrumentos. (A idéia é usarmos o repertório dos nossos espetáculos).
- Cada grupo ficará responsável pela sua atuação, produção e performance no trajeto, é importante termos a devida organização pra que cada ALA seja bem vista. Não necessariamente precisa fazer alguma apresentação, se quiser pode apenas cantar as músicas que serão propostas e distribuir a Carta Denúncia.
- Pedimos que venham caracterizado(a)s com figurinos de seus espetáculos, maquiagem, estandartes e mega-fones.
- Cada grupo escolhe um responsável pra organizar a distância entre uma ala e outra.
AOS MOVIMENTOS SOCIAIS E ORGANIZAÇÕES SOLICITAMOS:
- Presença dos companheiros(a)s pra endossar a luta.
- E que se distribuam nas ALAS que serão formadas.
No dia formaremos as ALAS “DAS PLACAS” (que cobram uma política estruturante) e “DOS MORTOS DO TEATRO E OUTROS QUE QUEIRAM PROPOR”.

Compareça!

Dia 27 de Março de 2012 às 12h.
No Teatro Municipal de São Paulo
Praça Ramos de Azevedo, S/N
Informações: (11) 8121-6554 ou 9592-0945

Movimento de Teatro de Grupo

sexta-feira, 9 de março de 2012

Dia 17 de março - Lançamento da Revista "Bandido É quem Anda em Bando" com a participação da Karroça Antropofágica.



Bandido é Quem Anda Em Bando com a participação especial da Cia.Antropofágica

Sinopse do espetáculo.

Em uma das muitas praças da cidade, a normalidade é interrompida pelo protesto de um ativista das redes sociais que, com veemência, denuncia uma chacina ocorrida naquele local na noite anterior. Aponta para o fato de que, ironicamente, um palanque fora montado exatamente no local onde ele, o jovem militante, afirma ter acontecido o assassinato... de um grupo de sem-tetos que ali pernoitavam. Logo outros passantes se envolvem na discussão, e descobrem que todos eles, de uma maneira ou de outra, possuiam alguma relação com o crime. Mas a articulação de uma ação conjunta não é tarefa das mais fáceis, já que as ideologias e convicções pessoais mostram-se pouco permeáveis. Quando o diálogo se revela quase inviável, um fato novo, a apreensão violenta da mercadoria de uma vendedora ambulante, desempregada e mãe de dois filhos, faz emergir a necessidade de um vínculo entre aqueles indivíduos, única forma de fazer frente à barbárie que a todos quer engolir.

Quando:17 de março
Horario:14hs
Local: Praça Miguel Dell'Erba (Em frente ao Terminal da Lapa - Zona Oeste)
Distribuição gratuita da revista - Tiragem 300 exemplares.



UMA TRILOGIA EM HOMENAGEM AO POVO BRASILEIRO

O projeto teatral "Viva o Povo Brasileiro!" objetiva a montagem de uma trilogia livremente inspirada no romance épico "Viva o Povo Brasileiro", de João Ubaldo Ribeiro. No primeiro espetáculo da trilogia, denominado “Canteiro”, trabalhadores de um canteiro de obras se perguntam: quem escolhe o que come? Neste segundo trabalho, Bandido é Quem Anda Em Bando, a Companhia dos Inventivos problematiza alguns dos impasses vividos por quem vive à margem do sistema, no confronto com o brutalizante cotidiano da metrópole. O terceiro espetáculo está previsto para 2013.



DIREÇÃO: EDGAR CASTRO
ASSISTENTE DE DIREÇÃO: RANIERE GUERRA
ELENCO: AYSHA NASCIMENTO, FLÁVIO RODRIGUES,LUCIANA YUMI YARA,MARCOS DI FERREIRA E RÔMULO ALBUQUERQUE
ORIENTAÇÃO DA PESQUISA: ALEXANDRE MATE
DRAMATURGISTA: ROGÉRIO GUARAPIRAM
DIREÇÃO DE ARTE E ADEREÇOS: JULIO DOCJAR
DIREÇÃO MUSICAL: RANIERE GUERRA E RÔMULO ALBUQUERQUE
ESTUDOS DRAMATURGICOS: CALIXTO DE INHAMUS
PREPARAÇÃO DOS ATORES: EDUARDO OKAMOTO
PREPARAÇÃO CORPORAL: MARCIO GREYK E PEDRO PEU
PREPARAÇÃO VOCAL: RANIERE GUERRA
TREINAMENTO BUFÃO: DANIELA CARMONA E ADRIANO BASEGIO
TREINAMENTO MAMULENGO:DANILO CAVALCANTE
LETRAS DAS MÚSICAS: COMPANHIA DOS INVENTIVOS
EFEITOS SONOROS: RÔMULO ALBUQUERQUE E RICARDO DUTRA
COSTUREIRA: LECI DE ANDRADE
ARTISTA GRÁFICO: MURILO THAVEIRA
ASSESSORIA DE IMPRENSA: ANDRÉ MORETTI
REALIZAÇÃO :COMPANHIA DOS INVENTIVOS