sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Monólogo com Eduardo Okamoto sobre a chacina da Candelária em cartaz no Sesc Pompéia "Agora e na Hora de Nossa Hora"



Pedrinha é um sobrevivente da Chacina da Candelária: escondido sobre a banca de jornal, ele assistiu ao assassinato de oito meninos de rua. Ao narrar os acontecimentos da madrugada, Pedrinha revela uma sociedade que nega até a morte os meninos de rua!

“Agora e na hora de nossa hora” coloca no centro da cena a “cidade invisível”. Todos os dias passamos por ela, mas não a percebemos. Nessa cidade, vivem meninos de rua e também mal os notamos.

A cena recria o cotidiano de um desses meninos: um sobrevivente que luta, ama, se esconde, fuma crack, vive. A trajetória de Pedrinha se desenrola de maneira delicada, poética, acompanhada de viola erudita.

Ainda que encene um acontecimento histórico, o espetáculo não se restringe ao documentário. A pesquisa incluiu a observação de meninos de rua em Campinas, Rio de Janeiro e São Paulo e a inspiração em “Macário”, conto de Juan Rulfo. A nossa estória muda a história na busca de que um dia, ela não mais se repita.

Acompanha o espetáculo uma exposição de desenhos e fotos do processo de criação, iniciado com a realização de oficinas de arte com meninos de rua do projeto “Gepeto”, em Campinas. O projeto é descrito no livro “Hora de nossa hora”, de Eduardo Okamoto (Editora HUcitec, 2007).

Por sua atuação, Eduardo Okamoto recebeu diversos prêmios, incluindo o de Melhor Interpretação Masculina, no Festival Intercanional de Expressão Corporal, Teatro e Dança de Agadir, no Marrocos.

O espetáculo acontece entre os dias 21 de outubro e 27 de novembro, às sextas, sábados (21h) e domingos (19h). A entrada para a atração custa R$ 12.

Nenhum comentário:

Postar um comentário