segunda-feira, 25 de abril de 2011

Festival Rosa dos Ventos 12 anos "Noite de alegria com a turma do Biribinha"



Todos nós artistas que estavam participando do "Festival Rosa dos Ventos 12 anos" e público composto por uma bela platéia de crianças e adultos no final da tarde de ontem na cidade de Rancharia,ficamos encantados com a apresentação do espetáculo " O reencontro de palhaços na rua é a alegria do sol com a lua".Este reeconcontro aconteceu.Com maestria o palhaço Biribinha, o homenageado do festival, e sua turma, prenderam a atenção de todos com um verdadeiro espetáculo.Saimos todos ao final emocionados e correndo para abraçar este homem chamado Teófanes Silveira que já é Patrimônio Vivo Alagoano.Mestre Biribinha, nós da Cia só agradecemos pela aula do estar pleno de corpo e alma diante de uma platéia que só transbordava felicidade diante de tanto talento.

OBS.EM BREVE FOTOS DA APRESENTAÇÃO.

sábado, 23 de abril de 2011

Vida Seca no Festival 12 anos do Grupo Rosa dos Ventos.




Um som experimental que acreditamos que todos que estavam hoje no Festival do Rosa dos Ventos ficaram impressionados com a qualidade desse grupo.O bom de participar de um festival é encontrar essas preciosidades.Parabéns aos integrantes do Vida Seca.Valeu Rosa dos Ventos!

Sobre o grupo

O grupo VIDA SECA surgiu em 2004, formado por ex-integrantes de um bloco de percussão que usava lixo e materiais recicláveis como instrumentos musicais. Seguindo esta idéia o VIDA SECA busca explorar novos timbres e sonoridades com o lixo e a sucata, pesquisando e relendo ritmos brasileiros e latino-americanos, com influências da música pop e contemporânea.
O quarteto formado por Danilo Rosolem, Igor Zargov, Ricardo Roqueto e Thiago Verano compõe músicas, produz instrumentos e ministra oficinas com o projeto “Lixo Ritmado, Batuque Reciclado”, que desenvolvem desde o ano de 2006. Buscam com estes trabalhos instigar as pessoas para nossa realidade social e ambiental, por meio de um discurso artístico e pedagógico que questiona e propõe ações.

Em 2008 o Vida Seca lançou seu primeiro cd Som de Sucata , produção independente, que traz sete composições do grupo. O Vida Seca também participou do cd Ópera de uma Vida Seca do grupo matogrossense Triêro , compondo o arranjo e tocando na música Lixo , letra de Anthony Brito, do Triêro.

O Vida Seca já se apresentou e ministrou oficinas em eventos como a etapa de Goiânia do Circuito Cultural Banco do Brasil 2007; Festival de Cultura em Nova Xavantina, Mato Grosso, em 2006; no 24 Horas de Cultura na UFMT 2006 e 2007 em Cuiabá, Mato Grosso; no Espaço Fora do Eixo e na Casa Cuiabana em 2007, Cuiabá, Mato Grosso; Projeto Segunda Aberta, Teatro Goiânia Ouro, Goiânia, 2007; no Canto da Primavera 2007, em Pirinopólis, Goiás; Ato em Memória do Acidente Radioativo do Césio 137 junto ao Porquá? Grupo Experimental de Dança, Goiânia, 2007; Projeto Eu Faço Cultura 2008 , Goiânia, Goiás; Festival Vaca Amarela 2008, Goiânia, Goiás; Lançamento do CD no Botiquim Blues em 2008, Taguatinga, DF; Lançamento do CD no Balaio Café em 2008, Brasília, DF; Semana do Meio Ambiente 2008 Transpetro/Petrobrás realizando turnê com shows e oficinas nas cidades de Senador Canedo-GO, Brasília-DF, Uberlândia e Uberada-MG e Ribeirão Preto-SP; Carnaval de Rua de Goiânia 2007, 2008 e 2009; Lançamento do CD no Sarau do Calouro Lunático março de 2009, UFMT, Cuiabá, Mato Grosso; II Forúm Cultural da Unesp , maio de 2009, Presidente Prudente, São Paulo; Dia Mundial do Meio Ambiente Sesc, junho de 2009, Anápolis, Goiás. Feira do Empreendedor Sebrae Goiás 2009, Goiânia; Canto da Primavera 2009 , Pirenopolis, Goiás.

No mês de outubro de 2009 realizou sua primeira turnê internacional por 6 cidades em Portugal : Almada, Braga, Lisboa, Porto, Seia e Seixal. Participou de eventos como o Cine Eco, em Seia, de um intercâmbio com o grupo de percussão tradicional portuguesa Tocá Rufar e do concerto Triptico, em parceria com o projeto Open Gate 5 , no Porto. Além das apresentações musicais ministrou oficinas para alunos de escolas públicas em Seia e Braga e workshops para os integrantes da orquestra Tocá Rufar. Em novembro de 2009 teve a honra de abrir o show do mago Hermeto Pascoal , durante o 15º Goiânia Noise Festival.

Em 2010, nos meses de janeiro e fevereiro, participou do projeto Ciranda Cultural do Cerrado , que percorreu o interior do estado de Goiás e a capital Goiânia, oferecendo shows e oficinas e promovendo o debate sobre o reconhecimento do cerrado como patrimônio do bioma brasileiro. Durante o carnaval realizou apresentações nas cidades paulistas de Dobrada e Taquaritinga.

No mês de maio se apresentou na edição 2010 do Festival Bananada, em Goiânia, e em seguida partiu para sua segunda turnê em Portugal, onde participou do Festival Internacional de Percussão Portugal a Rufar, no Seixal; da Festa Caldas Late Night, em Caldas da Rainha e realizou apresentações em diversas espaços como a Casa Viva, no Porto; Insólito Bar, em Braga; Carpe Diem Bar, em Santo Tirso; e intervenções nas ruas de Lisboa. Também ministrou oficinas na cidade de Braga, no Jardim de Infância Panoias. Para esta viagem o Vida Seca foi contemplado pelo Programa de Intercâmbio e Difusão Cultural do Ministério da Cultura.

Atualmente o Vida Seca está produzindo seu primeiro DVD , projeto contemplado pela Lei Goyazes de Incentivo à Cultura de Goiás . No dia 10 de julho foram foi realizado o espetáculo Som de Sucata , no Circo Lahetô em Goiânia, que foi registrado para este trabalho. Também farão parte curtas-metragens que estão em produção, dois deles em parcerias com dois grupos artísticos de Goiânia, o Porqua? Grupo Experimental de Dança e o Grupo Empreza , além de um documentário sobre o projeto de oficinas Lixo Ritmado, Batuque Reciclado.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Formação12 da ELT - Escola Livre de Teatro apresenta "Um homem é um homem" de Bertolt Brecht.


Coordenação geral: Mariana Senne
Direção: Ana Roxo, Mariana Senne e Thiago Antunes
Assistência de direção: Fernanda Machado
Direção musical: Cristiano Gouveia
Assistência de direção musical: Fabrício Zavanella
Direção de voz: Lúcia Gayotto
Provocadora da cena: Georgette Fadel
Direção de arte: Éder Lopes, Murilo Thaveira, Vanderson Caires e Wagner Antônio
Atores-criadores: Alexandre Falcão, Fernanda Henrique, Fernando Melo, Gislaine Nascimento, Júlio Silvério, Lilian Ganzerla, Luciana Yumi Yara, Marcelo Santos, Marcelo Molina, Mayara Pacces, Murilo Thaveira, Natália Ribeiro, Rafael Francisco, Sabrina Motta, Vanderson Caires, Willian Simplício e Yuri Martins
Designer Gráfico: Murilo Thaveira

TEATRO CONCHITA DE MORAES
Praça Rui Barbosa, 12
Santa Terezinha - Santo André/SP
(Próxima a estação de trem Prefeito Saladino)

Temporada até 05 de junho, sempre aos Sáb/20h30 e Dom/19h30 [Com revezamento do elenco, alternando as sessões durante o fim de semana]
Capacidade: 100 lugares
(Chegar antes pra pegar ingresso.)
Entrada Franca

terça-feira, 19 de abril de 2011

Festival Visões Urbanas traz dança internacional para paisagens de SP



Conhecido por promover performances de dança no meio da arquitetura pontuada por prédios e concreto da cidade, o VI Visões Urbanas – Festival Internacional de Dança em Paisagens Urbanas, que acontece nos dias 27 a 30 de abril, se concentrará – este ano – na região da avenida Paulista.

Os parques Trianon e Mario Covas, o Teatro Eva Herz (na Livraria Cultura, do Conjunto Nacional) e a Casa das Rosas recebem palestras, mostra de videodança e performances da Turquia, Alemanha, Bélgica, Itália, Uruguai, Estados Unidos e Brasil.

Entre os destaques, estão a coreografia da norte-americana Maida Withers, inspirada nas prisões Abu Ghraib, no Iraque, e de Guantánamo (base naval americana, em Cuba), e o espetáculo Xtra Large, do grupo Irene K., da Bélgica.

Criado em 2006 por Mirtes Calheiros e Ederson Lopes, o Visões Urbanas faz parte da rede internacional CQD – Cidades que Dançam. Ela reúne festivais que integram a dança à paisagem urbana em 34 cidades de 18 países da América Latina e Europa. A sexta edição tem patrocínio da Caixa Econômica Federal, do Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria de Estado da Cultura, através do ProAC 2010 (Programa de Ação Cultural). Conta também com apoio do Instituto Goethe – SP, do Consulado Geral da Turquia em SP e do Instituto Italiano de Cultura de São Paulo.

Veja programação.

Dia 27/04 (quarta-feira)

9h Exposição fotográfica São Paulo – Cidade que Dança
Duração: 27 a 30 de abril, das 9h às 21h
Onde: Caixa Cultural – Sé. Praça da Sé, 111, Centro. Tel. (11) 3321-4400.

11h30 Dolap, Cia. Taldans (Istambul, Turquia)
Onde: Parque Mario Covas (Av. Paulista, 1.853)

12h Siredia/Sistema Relacional Dinâmico Adaptativo, Cia. Proyecto La Casa (Montevidéu, Uruguai)
Onde: Parque Mario Covas

12h45 Estepe (Spare Tire), Maren Strack (Berlim, Alemanha)
Onde: Parque Mario Covas

13h Bem Me Quer – Estudo I Duo, coletivo Flores (Macaé, Rio de Janeiro, Brasil)
Onde: Parque Mario Covas

13h30 Croatã, Cia. Artesãos do Corpo e Levante – Centro Integrado de Artes e Dança para Espaços Urbanos (São Paulo, Brasil)
Onde: Parque Mario Covas

19h às 21h30 Workshop Hip-hop Experiências do Corpo, com Taís Vieira (Macaé, Rio de Janeiro, Brasil)
Onde: Estúdio Artesãos do Corpo (Rua Martim Francisco, 661, Santa Cecília. Tel. 3667-5581).

DIA 28/04 (quinta-feira)

10h30 Palestra Ma – o Espaço Intervalar com Michiko Okano (São Paulo, Brasil)
Onde: Teatro Eva Herz (166 lugares), Livraria Cultura. (Av. Paulista, 2.073)

17h Despacho – Experimento Coletivo, Cia. Ltda. (Maceió, Brasil)
Onde: Parque Mario Covas (Av. Paulista, 1.853)

17h30 Estepe, Maren Strack (Berlim, Alemanha)
Onde: Parque Mario Covas

18h Happy Hour, Cia. Adarte – Associazione Danza Arte Teatro (Siena e Florença, Toscana, Itália)
Onde: Parque Mario Covas (Av. Paulista, 1.853)

18h40 Limites Cruzados (Parte II – Abu Ghraib), Cia. Maida Withers Dance Construction (Washington, EUA)
Onde: Parque Mario Covas

DIA 29/04 (sexta-feira)

10h30 Palestra Internet – Outro Espaço para a Dança, com Ana Francisca Ponzio (São Paulo) e Gabriela Baptista (Rio de Janeiro)
Onde: Teatro Eva Herz (166 lugares), Livraria Cultura. (Av. Paulista, 2.073)

16h Tangos, Margareth Kardosh e Victor Costa (São Paulo, Brasil)
Onde: Casa das Rosas, jardim (Av. Paulista, 37)

16h15 Casulos, Cia. Avoá! Núcleo Artístico (São Paulo, Brasil)
Onde: Casa das Rosas, jardim (Avenida Paulista, 37)

17h Estepe – Maren Strack (Alemanha)
Onde: Casa das Rosas, jardim. (Avenida Paulista, 37)

17h30 Olhar Urbano, Cia. Artesãos do Corpo (São Paulo, Brasil)
Onde: Casa das Rosas, jardim (Avenida Paulista, 37)

18h30 Limites Cruzados (Parte II – Abu Ghraib), Cia. Maida Withers Dance Construction (Washington, EUA)
Onde: Casa das Rosas, na varanda

19h às 20h30 II VideoDança SP
Onde: Casa das Rosas, na varanda

DIA 30/04 (sábado) – encerramento

11h Xtra Large, Cia. Irene K. (Eupen, Bélgica)
Onde: Parque Trianon (Av. Paulista, 1.700)

11h30 Cadência, Cia. Artesãos do Corpo (São Paulo, Brasil)
Onde: Trianon

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Grupo Rosa dos Ventos comemora 12 anos com mais de 80 atrações gratuitas.


O Festival Rosa dos Ventos 12 Anos, que será realizado de 7 de abril a 4 de junho, marca o aniversário do grupo homônimo, com sede em Presidente Prudente, e reúne mais de 80 atividades gratuitas realizadas por de 32 grupos artísticos de sete estados brasileiros, da Argentina e do Chile. As atrações incluem teatro, circo, música, cultura popular, oficinas, exposições fotográficas, debates, homenagens, lançamentos de livros e revistas culturais.

Também acontecerão rodas de conversa, de bates e palestras sobre Políticas publicas para a cultura, Fomento as artes, Circo teatro e circo teatro de rua, Teatro de grupo e teatro de rua, Cultura popular.

Durante o evento, o Palhaço Biribinha de Arapiraca (AL) – com 50 anos de carreira e um dos mais importantes do país – receberá homenagem, assim como o Circo Dioni, um dos poucos dedicados principalmente ao Oeste do Estado de São Paulo.

Além da cidade natal do grupo, as festividades também acontecem em três municípios: Rancharia, Caiabu e Paraguaçu Paulista.

O Projeto foi aprovado pelo ProAC ICMS da Secretaria de Estado da Cultura. É patrocinado pelo Grupo Rede Energia, (empresas Caiua e Vale Paranapanema). Tem o Co-patrocínio da Conti Cola.

Fonte:site Cooperativa Paulista de Teatro