quarta-feira, 20 de maio de 2009

Ensaios no Tendal da Lapa

Iniciamos a semana com nossa dramaturgia quase fechada e os ensaios apartir de agora sempre serão ao ar livre.


A RUA
Paulo Barreto, o João do Rio

Eu amo a rua. Esse sentimento de natureza toda íntima não vos seria revelado por mim se não julgasse, e razões não tivesse para julgar, que este amor assim absoluto e assim exagerado é partilhado por todos vós. Nós somos irmãos, nós nos sentimos parecidos e iguais; nas cidades, nas aldeias, nos povoados, não porque soframos, com a dor e os desprazeres, a lei e a polícia, mas porque nos une, nivela e agremia o amor da rua. É este mesmo o sentimento imperturbável e indissolúvel, o único que, como a própria vida, resiste às idades e às épocas. Tudo se transforma, tudo varia – o amor, o ódio, o egoísmo. Hoje é mais amargo o riso, mais dolorosa a ironia, Os séculos passam, deslizam, levando as coisas fúteis e os acontecimentos notáveis. Só persiste e fica, legado das gerações cada vez maior, o amor da rua.


Aysha e Maria ensaio com Verônica Nobili Rômulo Nardes - nosso músico multi-instrumentista


Flávio e Aysha em ensaio com Daniela Rosa assistente de direção e Verônica preparadora corporal.

A arena se inicia

Nenhum comentário:

Postar um comentário