terça-feira, 29 de dezembro de 2009

ATO DE RUA CONTRA O AUMENTO DA TARIFA de ÔNIBUS!

Dia: 07/01, quinta-feira

Concentração no Teatro Municipal às 16h.Saída em manifestação às 17h

CULTURA EM ALERTA - Fomento ao Teatro ameaçado na cidade de São Paulo

O Movimento de Teatro de Grupo de São Paulo, surpreendido pela notícia da iminente publicação de um edital da Secretaria Municipal de Cultura contrário aos termos da Lei nº 13.279/02 que institui e regulamenta o Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo, imediatamente mobilizou-se e procurou a Secretaria de Cultura para exigir o integral cumprimento da referida Lei, o mais avançado exemplo de ação pública para o teatro brasileiro, inspiradora de diversas iniciativas semelhantes em todo o país.

O ataque, em acintosa afronta à Lei, consistia primeiramente em regulamentar a aplicação da mesma criando dispositivos que impediam a atuação dos grupos teatrais por meio de sua representante jurídica, a Cooperativa Paulista de Teatro. Além disso o edital possibilitaria cortes ilimitados nos orçamentos apresentados pelos grupos interessados em participar do Programa, sendo que a Lei do Fomento já estabelece o limite de tais cortes como forma de garantir a integridade dos projetos apresentados e evitar o desvirtuamento da proposta artística dos fazedores de teatro.

Tais arbitrariedades foram embasadas em parecer da Secretaria dos Negócios Jurídicos que pretende enquadrar a atividade teatral fomentada pela Lei em um modelo jurídico que não atende as prerrogativas de um fazer teatral voltado para a pesquisa, o pensar e o debate. Não interessa aos grupos de teatro(e à cultura com um todo) ser enquadrado de tal forma que seu projeto artístico limite-se a simples confecção de mais um “produto cultural” a ser inserido no mercado.

Instada a se manifestar, a Secretaria Municipal de Cultura prontamente aceitou dialogar e firmou-se um acordo de suspensão temporária da 16ª Edição do Programa de Fomento(até a data limite de 30 de janeiro de 2010) para que se discuta a forma correta de regulamentação da Lei, sem ferir seu espírito e seus princípios! A mobilização foi acompanhada e apoiada pelos vereadores Donato e Zé Américo do PT.

Cabe lembrar que essa Lei existe para garantir o acesso ao Teatro como forma de expressão cultural e fundamental bem formador da cidadania cultural do país, portanto, é uma lei de interesse da Cidade de São Paulo e de seus habitantes e não apenas dos grupos teatrais.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Till, A saga de um herói torto.Grupo Galpão



Till, A Saga de um Herói Torto O grupo mineiro Galpão estreia espetáculo de rua em São Paulo. A cia. já havia apresentado um ensaio aberto da peça em maio de 2009, na V Mostra Latino Americana de Teatro de Grupo, da Cooperativa Paulista de Teatro.
12 anos depois de montar "Um Molière Imaginário", o Grupo Galpão volta a realizar espetáculo de rua em "Till, A Saga de um Herói Torto", que estreia dia 22 de outubro em São Paulo, no Sesc Pompeia. A ideia da peça surgiu a partir da montagem de quatro cenas dirigidas por integrantes do Grupo, realizadas em março deste ano, a partir do texto “Till Eulenspiegel”, de Luís Alberto de Abreu.
Com direção de Júlio Maciel, a comédia popular traz a história de Till (Inês Peixoto), personagem medieval da cultura alemã, fruto de uma aposta entre o Demônio e Deus. O primeiro acredita que se fosse tirado do homem algumas qualidades, ele cairia em perdição. Com isso, Deus traz ao mundo o anti-herói, cheio de artimanhas e dotado de um irresistível charme. Além de Till e uma infinidade de rústicos personagens medievais, a peça conta também com três cegos andarilhos que buscam a redenção, sonhando alcançar as torres de Jerusalém e salvar o Santo Sepulcro das mãos dos infiéis.
Pode ser feito um paralelo entre a miséria e a exclusão vividas por parte da população brasileira com a condição do personagem principal. O espetáculo traz ainda elementos do bufão, utilizado para caracterizar personagens sofridos como mendigos, cegos, e deficientes físicos; e na trilha sonora, músicas do cineasta e músico sérvio Emir Kusturica, além de composições próprias e cantigas de roda.
"Till, A Saga de um Herói Torto" é o oitavo espetáculo de rua do grupo e o primeiro dirigido por Júlio Maciel dentro do Galpão.
SERVIÇO: Till, A Saga de um Herói TortoData: de 22 a 25 de outubro - quinta a sábado, às 21h, e domingo, às 18h30Ingresso: Grátis (retirar no local a partir das 9h)Local: Sesc Pompeia - R. Clélia, 93, Água Branca.Telefone: 3871-7700.
Data: 31 de outubro e 1º de novembro, às 20hLocal: Parque da Independência - Av. Nazareth, s/nºIngresso: GratuitoTelefone: (11) 3340-2000

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Mostra ELT em Alerta.















Mesa - O projeto artístico pedagógico da ELT - Chiquinho Medeiros e luis Alberto de Abreu















O cantor Rubi














Gardênia - El Otro núcleo de Teatro















Homem cavalo - Cia Estável















Bate papo com a Brava Cia.















Ciranda das Flores - Cia. Prosa dos Ventos















Cindi Hip-Hop do Bartolomeu de Depoimentos

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Escola Livre de Teatro em Alerta!


Olá, colegas e amigos!

A todos que, de um modo ou de outro, têm o coração ligado à Escola Livre de Teatro de Santo André, eu peço licença pra trazer um "aviso" e um "apelo".

O "aviso"

O afastamento do Edgar Castro (mais do que o de um companheiro e mestre que, a seu modo, buscou implementar uma horizontalidade resultada de um longo percurso de "liberdade criativa e colaborativa") significa um posicionamento muito bem claro do poder vigente nesta cidade, cuja base é francamente PTBista, ou seja, visceralmente contrária à qualquer resquício de política petista.

Quem esteve no primeiro dia do EnCASA pôde presenciar a explicação dada por um veterano artista andreense para o que aconteceu à ELT na "Era Brandão": "Não foi o Brandão que fechou a escola; foram os professores que debandaram por não concordarem com a política cultural proposta pelo prefeito". É compreensível, faz parte de um grande jogo, não pode ser simplesmente alvo de deboche, pois representa um pensamento e, mais do que isso, um pensamento em vigência, respaldado por apoio popular incontestável.

O aviso aos atuais navegantes: não se iludam, pois esta que ora sobra NÃO É a autêntica ELT, na essência deste projeto pensado por Maria Thais, Tiche e os Celsos (Daniel e Frateschi) e trazido até aqui por meio de coordenações orgânicas e legitimadas pela própria comunidade que sempre a compôs.

O "apelo"

Abramos os olhos e nos posicionemos! Tragamos à tona os propósitos e os anseios que nos trouxeram a esta Casa e preparemo-nos, pois a hora é de OPÇÃO: lutar ou concordar? Ambas as posições são justas e devem ser respeitadas, desde que colocadas à luz.

Se o Dr. Aidan conquistou 55% da opinião pública, não nos esqueçamos de que podemos buscar o contato dos outros 45%, em suas diversas faces. Há a Imprensa e, principalmente, A HISTÓRIA DESTE PROJETO E DE TODOS OS ARTISTAS-ORIENTADORES E ORIENTADOS NELA ENVOLVIDOS NESTAS DUAS DÉCADAS.

Não vejo mais espaço para "cuidados". Vejo, sim, necessidade de ESTRATÉGIAS VOLTADAS À AÇÃO.

Mais do que desabafos, gritos de guerra ou pregações para convertidos, esta é a hora de dizermos o que pensamos, o que sentimos e o que acreditamos. Embora "bandeiras" não nos faltem, agora, penso que a defesa pela permanência do Edgar seja algo bastante simbólico, visto que representa, como eu já disse, o resultado legítimo de um longo processo no Projeto ELT.

Concordam?

Este email vai a mestres, aprendizes e ex-aprendizes. Conto com o favor de o direcionarem ao LUA, bem como aos aprendizes F01, 02, 03, 04, 05, 06, 07, 08, 09, 10, 11, 12 e 13, além de todos os ex-aprendizes que, porventura, vocês conheçam.

Muito obrigado pela atenção.

Carlos Biaggioli
Ex-aprendiz
(F9, Narrativas de Passagem, Teatro de Rua, Teatro Popular Urbano)

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Semana Cultural do Grupo Pão de Açucar


A Cia. apresenta o espetáculo nas Centrais de Distribuição para os funcionários do Grupo Pão de Açucar .

domingo, 2 de agosto de 2009

Viagens Inventivas!!






Neste final de semana a Cia. fez apresentações do espetáculo nas cidades de Matão e Lençóis Paulista.Fotos da apresentação na cidade de Lençóis Paulista do já querido fotógrafo Ricardo Romero.Agradecemos ao Programa de Ação Cultural da Secretaria do Estado da Cultura que possibilitou a Companhia viajar por algumas cidades do Estado de São Paulo.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Cia. dos Inventivos participa do "Teatro nos Parques"



Programação em São Paulo/SP

12/9/2009 (Sábado) às 15h – Parque Tenente Siqueira Campos (Trianon)
3/10/2009 (Sábado) às 11h – Parque Severo Gomes
10/10/2009 (Sábado)às 11h – Parque Luis Carlos Prestes
11/10/2009 (Domingo) às 11h – Parque Rodrigo de Gasperi

segunda-feira, 20 de julho de 2009

"Canteiro" livremente inspirado em "Viva o Povo Brasileiro" de João Ubaldo Ribeiro.


A FOME FAZ O
HOMEM

Em uma época de celebridades tão instantâneas quanto vazias, o espetáculo CANTEIRO coloca em cena as diversas fomes do chamado “homem comum”. Durante o horário de almoço em um canteiro de obras, quatro pedreiros e uma marmiteira estabelecem um divertido jogo teatral para falar sobre a possibilidade de se escolher o que se come, sobre a fabricação de alguns dos heróis da história oficial, sobre os anônimos heróis do povo, sobre o conhecimento que não se encontra nos livros, sobre a violência, sobre a sede por justiça. E através das histórias servidas ao público, histórias feitas a partir de uma livre leitura da obra Viva o Povo Brasileiro de João Ubaldo Ribeiro, a Cia dos Inventivos homenageia os milhões de heróis brasileiros que constroem, diariamente, este país.

Ficha técnica:

Direção geral: Edgar Castro
Assistente de direção: Daniela Rosa
Artistas-criadores: Aysha Nascimento, Flávio Rodrigues,
Marcos di Ferreira, Maria Texeira e Rômulo Albuquerque
Dramaturgia: Cia. dos Inventivos
Dramaturgista: Daniela Rosa
Direção musical: Cristiano Gouveia e Rômulo Albuquerque
Preparação corporal: Kelliy Anjos e Verônica Nóbili
Dança afro / Coreografias - Kelliy Anjos
Jongo - Tom Conceição
Direção de arte: Marcio Rodrigues e Rafaela Carneiro
Confecção de instrumentos: Rômulo Albuquerque
Fotos: Cristiano Gouveia e kauê Palazolli
Registro de vídeo: Guga Batoco
Assessoria de imprensa: Marina Marinho
Arte gráfica: Daniel Portella
Produção: Aysha Nascimento, Flávio Rodrigues e Marcos di Ferreira
Realização: Cia. dos Inventivos



domingo, 12 de julho de 2009

Mostra da ELT - Julho/2009

Foto: Cris Gouveia
13 (segunda-feira)20h – Demonstração de trabalho a partir das idéias contidas no texto “A CENA DE RUA”, de Bertolt Brecht, serão apresentadas cenas de “SONHO DE UMA NOITE DE VERÃO”, de William Shakespeare. Com o Núcleo Teatro Laboratório. Coordenação Edgar Castro.
14 (terça-feira)16h – Filhos do Circo. Premiado pelo Proac da Secretaria de Estado da Cultura, o espetáculo une a Cia Mimicalado e a trupe Lamala para apresentar à todos a beleza da vida de quem cresceu no circo tradicional.17:30h – Oficina com os integrantes da Cia Lamala.20h – Demonstração de trabalho tendo o foco principal na pesquisa da neutralidade e um foco secundário que é a pesquisa do coro. Com a Formação 13 do Núcleo de Formação do Ator. Coordenação Thiago Antunes.
15 (quarta-feira)19h – Sirila Griô a benzedeira. Denise Guilherme interpreta o contador Lamparina, que reúne pessoas para contar a história de Sirila, uma benzedeira que no ultimo dia de sua vida, abre as portas de sua casa para lembrar a sua história permeada de crenças, lendas e costumes. Com a Cia Carapulsa e Cia Clã Estúdio das Artes Cômicas.20:30 – Espetáculo Somos De Feitos. O que podemos fazer com uma rosa durante esse tempo que temos e que chamamos vida? O que não se pode fazer? E se foi feito que nome terá? E se ainda não existe que nome teria? Com a Cia De Feitos.
16 (quinta-feira)16h - Filhos do Circo. Espetáculo da Cia Lamala.17:30h – Oficina com os integrantes da Cia Lamala.19:30 e 21h – Exercício cênico tendo como eixo estrutural a pesquisa sobre o Ator Narrador. A partir da obra ficcional "Crônica de uma Morte Anunciada" de Gabriel Garcia Marquez, do estudo do texto "O Narrador" de Walter Benjamim e de práticas elaboradas em alguns capítulos do livro "Estudos sobre Teatro" de Bertolt Brecht. Com a Formação 13 do Núcleo de Formação do Ator. Coordenação Luís Mármora.
17 (sexta-feira)16h – Canteiro. Quem escolhe o que come? Durante a pausa para o almoço, os trabalhadores de um canteiro de obras conversam sobre o assunto. Espetáculo de rua com a Cia dos Inventivos.
18h - Núcleo de Máscara. Demonstração de trabalho do Núcleo que, como o nome já diz, pesquisa a linguagem da Máscara sob os aspectos teórico, estético, histórico, geográfico e cultural, tendo como fio condutor o jogo teatral.Depois do papo com o Núcleo de Máscara – Jam de encerramento.

domingo, 21 de junho de 2009

É por aqui.Estação da Lapa.


Uso atual: estação de trens metropolitanos

com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d

HISTORICO DA LINHA: A São Paulo Railway - SPR ou popularmente "Ingleza" - foi a primeira estrada de ferro construída em solo paulista. Construída entre 1862 e 1867 por investidores ingleses, tinha inicialmente como um de seus maiores acionistas o Barão de Mauá. Ligando Jundiaí a Santos, transportou durante muito anos - até a década de 30, quando a Sorocabana abriu a Mairinque-Santos - o café e outras mercadorias, além de passageiros de forma monopolística do interior para o porto, sendo um verdadeiro funil que atravessava a cidade de São Paulo de norte a sul. Em 1946, com o final da concessão governamental, passou a pertencer à União sob o nome de E. F. Santos-Jundiaí (EFSJ). O nome pegou e é usado até hoje, embora nos anos 70 tenha passado a pertencer à REFESA, e, em 1997, tenha sido entregue à concessionária MRS, que hoje a controla. O tráfego de passageiros de longa distância terminou em 1997, mas o transporte entre Jundiaí e Paranapiacaba continua até hoje com as TUES dos trens metropolitanos.

A ESTAÇÃO: Embora o bairro da Lapa já existisse em forma incipiente na época da abertura da linha, a estação da Lapa foi a última das estações a ser aberta dentro de São Paulo ainda pela SPR. As alternativas eram a utilização da estação de Água Branca, dois quilômetros a leste, ou da Parada Anastácio, onde o trem parava logo após cruzar a ponte do Tietê, vindo de Jundiaí. Com a transferência das oficinas da SPR, vindas da Luz, para junto do rio, em 1898, devido à necessidade de água para as caldeiras, a Acima, no centro do mapa, os desvios da Lapa, para as oficinas da SPR, depois da Santos-Jundiaí, hoje com a CPTM e a MRS. Esses desvios também tinham ligação com a linha da Sorocabana em Domingos de Morais, pelo menos pelo mapa acima. Muitos destes desvios seguiam também na parte industrial a oeste da Avenida Raimundo Pereira de Magalhães, hoje todos eles desativados (Guia SP, 1978).estação foi finalmente construída no bairro. Hoje a estação, com um prédio mais recente e infelizmente não muito bem cuidado, atende aos trens da CPTM, com enorme movimento. Saindo da estação, existem os desvios que seguem para as oficinas da antiga SPR, depois Santos-Jundiaí e hoje usados pela CPTM e pela MRS. Existe, a cerca de 500 metros dela, a estação da Lapa da antiga Sorocabana, hoje também pertencente à CPTM, mas que atende os trens que vão para Itapevi

Ensaio com Cristiano Gouveia na direção musical.


sexta-feira, 5 de junho de 2009

Sintonize

Por Marcos di Ferreira

Piramos piramos num mundo global
É tudo concreto e real
É fúria é dura
Frieza total
É verso e reverso
de cara social
É elite do it
do ilmite real
E fica tudo assim
Conduite
eternize e canalize
moralize
Na ode natural
Natural
naturalize
alize

domingo, 31 de maio de 2009

O espetáculo vai começar

Por Aysha Nascimento

Oba,oba!
Senhoras e senhores o espetáculo vai começar,
Pode chegar.
Tem lugar pra todo mundo!
É na rua minha gente!
É tempo de democratizar.
É artista popular de um lado, pastor de outro, buzina pra frente, ambulância pra traz
É todo mundo em uma grande salada de variedades.
E pesquisa, estuda, discute, apreende, treina, ensaia, dança, encontra
E desencontra.
E o artista ta onde?
Trabalhando.
E a Cia. dos Inventivos?
Prazeres dolorosos!
E o processo vai indo.
E viva! O povo! Brasileiro?
E universaliza o Brasil
Recorta o Brasil
E o mundo é Brasil.
E coloca a forma, discute e assume atitudes.
E o artista se sofistica
Mostra que mostra...
Aí gente, vamô ri, vamô pensar... Vamô fazer teatro.
E a Cia. viaja, e MTRiza e troca.
E a luta de classes?
O teatro tai pessoal
E a gente relata, escreve, dilata...
E... Evolui!
E o espetáculo ta quase acabando
E é Canteiro, então vamô todo mundo cantá meu povo
Por que quem canta seus males espanta
“... Dormia a nossa pátria mãe tão distraída/Sem perceber que era subtraída...”
E a gente escolhe o que digere,
E o que não digere, a gente vomita, meu povo.
E eu,
Uma Inventiva, agradeço e
Reverencio a todos que fazem e fizeram parte desta história, que ta apenas começando
E vamô passá o chapéu minha gente
Por que o Teatro é nossa profissão e o chapéu é nosso ganha pão
Isso é tradição
Meu povo
Isso é tradição!

Boa tarde,tarde linda!

Fizemos um passadão na tarde de hoje a poucos metros dos trilhos do trem para nossos amigos Rafaela e Márcio que estão criando o visual do espetáculo, os objetos,cenário ..tivemos antes um encontro, desses sempre maravilhosos com Edgar, um provocador nato..viva!

Obs.me perdoem pela qualidade das fotos,foram feitas do meu celular.